Notícias

Algumas notícias boas:

Cresce a turma que faz os próprios cosméticos com fórmulas naturebas em laboratórios caseiros

Produtos sem ingredientes derivados de animais se multiplicam no mercado nacional

E uma para alertar:

Sabonete antibacteriano pode ter efeito nocivo à saúde

Fonte: Blog Pangea

10 coisas GRÁTIS que você pode fazer hoje ser mais saudável

Este post é uma tradução da newsletter “10 FREE Things You Can Do To Today To Gain Health”  do site Well Belly

André

  1. Durma 8 horas toda noiteEu sei, eu sei. Você já ouviu isso mil vezes. Você precisa dormir mais. Mas tem uma razão por que isso foi colocado na sua cabeça. Porque você pode fazer todo o resto do desta lista, e mais até, mas isso não vai significar nada se você não garantir a quantidade suficiente de horas de sono de qualidade toda noite. A reparação, a reconstrução, a desintoxicação, a limpeza e a regeneração do seu corpo acontecem quando você está dormindo e SÓ quando você está dormindo! Faça disso uma prioridade para a vida e a sua saúde vai te agradecer.
  1. Sente-se, respire e desconecte-se enquanto comePara seu sistema disgestivo funcionar direito, você precisa estar relaxado – tipo, relaxado de verdade – o que, para ser honesto, acho que muito de nós nem sabe mais como é isso. Respirar profundamente algumas vezes e deixar seus aparelhos eletrônicos de lado vão te deixar efetivamente nesse estado de serenidade durante a sua refeição e isso vai te ajudar a digerir e absorver os nutrientes do seu prato. E de bônus… sua comida vai ter mais sabor!
  2.  Faça um diário da gratidão

Todo dia, reserve alguns minutes para colocar no papel algumas coisas pelas quais você se sente grata. Isso muda imediatamente sua referência e faz você se sentir bem em relação à sua vida! Uma mentalidade positiva é um grande passo para conseguir benefícios para a sua saúde.

  1.  Faça uma lista de coisas a fazer

Eu amo uma boa lista. Eu amo ainda mais ir riscando as coisas feitas da lista. Que sensação maravilhosa! Separar um tempo para organizar o que precisa ser feito na sua vida significa menos estresse e mais produtividade. Estresse é uma das principais coisas a afetar negativamente a nossa saúde no mundo de hoje. Qualquer coisa que você faça para minimizar o seu estresse vai fazer você muito mais saudável e feliz. Meu conselho: faça a sua lista à noite e não perca seu precioso tempo de sono pensando sobre o dia seguinte!

  1.  Beba água morna com limão todo dia quando acordar

Esse ritual diário fácil não só faz seu suco digestivo fluir para ajudar sua digestão durante o dia, mas também fornece uma boa fonte de vitamina C!

  1.  Troque seus produtos de limpeza tóxicos

Os químicos feitos pelo homem que compõem nossos produtos de limpeza são tóxicos e perigosos quando inalados e absorvidos pela pele. Isso sem mencionar que eles custam um dinheiro que não precisa ser gasto porque você pode conseguir o mesmo efeito com itens que você já tem no armário! Coisas como vinagre, bicarbonato de sódio, água e seus óleos essenciais preferidos podem limpar praticamente tudo! Algumas receitas: aqui e aqui

  1.  Caminhe todos os dias

Porque passamos MUITO tempo sentados e nos afastamos muito dos nossos movimentos naturais e posturas preferenciais. Nós somos humanos. Nós somos feitos para andar, não para sentar na frente de computadores ou televisões. Não precisa ser rápido nem difícil. Apenas saia e ande com seus ombros para trás, cabeça para cima e respirando ar fresco!

  1.  Se elogie

Se olhe no espelho e goste do que vê! Olhe nos seus olhos e diga algo legal para si mesmo, como se estivesse falando com seu melhor amigo. Positividade não é só saudável, também é atraente!

  1.  Beba mais água

De novo, eu sei que você já ouviu isso um milhão de vezes, mas então por que você não está fazendo isso ainda?! Tenha como objetivo beber no mínimo 2 litros de água por dia, mais se você suar muito, se o tempo estiver quente e seco, ou se você beber café ou chás diuréticos. Desidratação crônica causa infindáveis problemas sérios de saúde. Não seja uma dessas pessoas que tem doenças inexplicáveis que poderiam ser curados apenas por beber mais água!

  1.  Leia os rótulosQuando foi a última vez que você gastou um tempo no Mercado checando os rótulos para ver o que está Escondido nas suas comidas preferidas? Os aditivos que a indústria alimentícia coloca nas comidas empacotadas mais processadas acabam com a saúde (mesmo as comidas que dizem ser saudáveis e naturais… puro marketing!). Para a lista de termos que você deve procurar nos rótulos, baixe o Guia de Mercado da Well Belly!

Traduzido da newsletter “10 FREE Things You Can Do To Today To Gain Health

Fonte: Well Belly

Óleo de coco: 1001 utilidades

Não se assuste se em breve descobrirmos que óleo de coco é a única coisa que serve pra tudo! Cada dia que passa descubro mais uma forma de usar (e mais um motivo para amar) essa belezura:

image

“Amor eterno amor verdadeiro” 😅

Por enquanto, é para isso que eu uso óleo de coco:

1 – na comida: comecei colocando em cima da salada de frutas, mas depois descobri que óleo de coco também é ótimo para fritar as coisas: bife, ovo, panquecas… hum, dá água na boca só de pensar!

2 – no café: tenho tomado um “bulletproof coffee” todo dia de manhã. É só colocar 1 colher de chá de óleo de coco em 1 xícara de café e misturar com um mixer. Além de ter aprendido a adorar o gosto, me sinto mega bem disposta depois de tomar e não sinto fome até a hora do almoço…

3 – no rosto: tenho feito a famosa “limpeza com óleo” com óleo de coco. Amo! Tira toda a maquiagem e a pele fica mega macia e hidratada.

4 – no corpo: porque é um ótimo óleo de banho! Também descobri que é anti bacteriano, então tem ajudado bastante nas minhas “bolinhas” nas costas. E é mais fácil usar um óleo só em vez de comprar vários diferentes 😉

5 – no couro cabeludo: meu couro cabeludo é mega oleoso e eu tenho caspa desde que nasci. Juro que nunca imaginei que colocar óleo na raiz do meu cabelo fosse melhorar o que já tem óleo de sobra, mas depois de testar na pele (e de toda a história de amor desde a primeira salada de frutas) tomei coragem de passar óleo de coco no cabelo. Não! Não ficou óleoso! Quer dizer, na hora ficou… mas foi só lavar com xampu normalmente pra ver quanta diferença! Meu cabelo tem ficado bem bonito e as *crostas* de caspa diminuíram bastante.

6 – pra bochechar: esse é o mais novo uso que achei pra ele. Antes de escovar os dentes, coloco um pouco de óleo de coco na boca e bochecho por alguns minutinhos. Depois, é só escovar os dentes normalmente. Sinto que meus dentes ficam muito limpos! E o gostinho também é ótimo…
Qual será o próximo uso? Se você souber de mais algum jeito de usar óleo de coco, me conta? Porque o amor só cresce mais a cada dia… ❤️

5 dicas ridiculamente simples para ter uma saúde ótima (talvez a dica nº 5 te surpreenda)

Esse post é uma tradução do PDF “Top 5 ridiculously simple tips for amazing health“, de Liz Wolfe.

Nº 1: PEGUE SOL!

sol

O QUE FAZER:

Mantenha seu rosto, que é a parte mais vulnerável a queimaduras, protegido por um chapéu de abas largas. Pessoas de pele clara vão precisar naturalmente de muito menos tempo no sol do que as mais morenas.

Vá para o lado de fora com braços e pernas expostos ao sol por alguns minutos – e construa seu nível de tolerância ao sol.

Não se queime!

POR QUE FAZER:

Por que eu coloco essa como a primeira das cinco dicas? Porque o sol não faz só as flores crescerem e os painéis solares funcionarem. O sol também faz os humanos serem mais saudáveis!

Se expor ao sol do lado de fora melhora nosso humor, nos ajuda a dormir melhor à noite e, o melhor de tudo, o sol atingindo a nossa pele faz o nosso corpo gerar vitamina D e outras substâncias que são críticas para a saúde humana e o metabolismo – e você não consegue isso com suplementos de vitamina D!

Além disso, ainda não sabemos se suplementação de vitamina D ajuda ou atrapalha a longo prazo – muitas pessoas estão exagerando na suplementação sem nem saber. O sol, porém, tem um jeito de sinalizar quando nós já conseguimos vitamina D suficiente de seus raios: QUEIMADURAS!

Se queimar é a forma natural que nosso corpo tem de sinalizar que nós ultrapassamos nossa dose necessária de sol (e que já temos vitamina D suficiente).

Se você prestar atenção e for construindo sua exposição solar gradualmente (5 minutos por vez, ou menos se sua pele é bem clara), você vai conseguir a quantidade certa de vitamina D, além de saber quando ir para a sombra antes de se queimar. Essa é a chave.

E, desse jeito, você vai conseguir construir seu estoque de vitamina D durante os meses mais quentes do ano, “guardado” para os meses de frio. Você pode aumentar seu estoque de vitamina D no inverno comendo algumas comidas ricas nessa vitamina (veja a dica nº 3).

E o protetor solar? Esse é um assunto super controverso e eu já fiz um vídeo específico sobre isso. Clique aqui para assistir.

NÃO FAÇA SE: contrariar a orientação do seu médico, especialmente se você tem histórico de câncer de pele.

Nº 2: TROQUE SEU CHINELOS!

(ou: acabe com os seus calcanhares!)

O QUE FAZER:

Se você tem andado por aí de chinelo, simplesmente troque-os por sandálias presas no pé.

Se você tem andado por aí de salto – meninos, isso vale para vocês também – considere fazer um plano para se separar deles!

POR QUE FAZER:

Muitos que querem ficar saudáveis começam a se exercitar. Isso é ótimo, mas que tal gastar um tempinho vendo como o seu PÉ – a parte do corpo mais usada para se mexer – deve funcionar?

Uma vez que tudo no corpo está conectado, quando uma parte está fora de sintonia, o resto também estará –e isso se manifesta como dor nas costas, dor no pé, dor no joelho, disfunção do assoalho pélvico ou até mesmo uma incapacidade de fazer exercício, se mexer ou até “trabalhar” seus glúteos, pernas e abdômen apropriadamente.

A maior parte de nós anda por aí de chinelos ou saltos a maior parte de nossa vida adulta sem perceber o efeito que isso pode ter na habilidade do nosso corpo de se mover!

Chinelos exigem que nos pés se contraiam quando andamos, para mantê-los calçados, o que cancela completamente o movimento natural de caminhar. Solução simples: opte com sandálias que se mantenham presas ao seu pé.

Para os que estão prontos para adotar esse conceito, considerem isso também: “saltos” não estão limitados aos sapatos altos femininos. Sapatos sociais masculinos e até tênis de corrida normalmente levantam o calcanhar mais alto do que a frente do pé (é isso que “salto positivo” significa). Como resultado, a estrutura do corpo pode mudar. Usando a vida em cima do salto que a Barbie “vive” como exemplo, o biomecânico Katy Bowman declara que “os músculos da batata da perna diminuem e o tendão de Aquiles engrossa” com o uso contínuo de saltos positivos. Essas são mudanças estruturais grandes no nosso corpo!

Nós muitas vezes pensamos que um “suporte para calcanhar” é uma coisa boa, mas na verdade isso está causando mudanças que tornam nosso corpo menos saudável? SIM!

Mas lembre-se: VOCÊ NÃO CHEGOU AQUI DO DIA PRA NOITE! Quando o assunto é se livrar dos saltos, você deve fazer um plano para reduzir a dependência do seu corpo no “salto positivo”. Leia o post de Katy Bowman chamado “Dear Barbie” ou o “Gait 101” para saber como começar.

Não faça isso se: for contrário ao conselho do seu médico ou fisioterapeuta, ou se você for incapaz de fazer essa transição de modo seguro e gradual.

Nº3: AUMENTE SUA INGESTÃO DE NUTRIENTES!

O QUE FAZER:

Coma salmão, sardinha ou ostras duas vezes por semana!

POR QUE FAZER:

Se você for como eu, você deve se sentir intimidado por frutos do mar (como uma garota do Kansas, eu só comia bife, o tempo todo). Mesmo que carne, de preferência orgânica, seja uma ótima opção, alguns tipos de frutos do mar fornecem nutrientes críticos para a pele, a saúde reprodutiva e o metabolismo!

Salmão é uma ótima fonte de um antioxidante poderoso chamado astaxantina (fantástico para a pele), possui muita proteína, vitamina D, omega 3, taurina (pouco conhecida, mas muito poderosa), iodo e colina. Meu jeito preferido de preparar salmão: asse por 15 minutos a 350 graus.

Ostras fornecem muito zinco (critic para saúde reprodutiva), iodo, Omega 3, ferro, outros minerais e até vitamina C. Você não precisa comê-las cruas – elas também ficam ótimas cozidas ou ensopadas.

Sardinhas fornecem muita protein, iodo, taurina, vitamina D, selênio, cálcio e Omega 3. E um benefício extra: são bem baratas. Veja esse vídeo para saber como comer sardinhas:[.

NÃO FAÇA SE: for contrário ao conselho do seu médico, se você tiver problemas de tireoides que causem intolerantes a iodo e se você tiver alergia a frutos do mar.

Nº4: RELAXE… E GARANTA SEU MAGNÉSIO

urso relax

O QUE FAZER:

Essa é simples. Algumas vezes por semana, tome um banho relaxante com sal de Epsom (também conhecido como Sulfato de Magnésio). Dissolva 1 xícara de sal de Epsom na banheira e aproveite. Se não tiver banheira, coloque seus pés de molho em água com ¼ de xícara de sal de Epsom.

POR QUE FAZER:

Magnésio é um dos minerais mais deficientes na dieta moderna. Esse é um GRANDE problema, uma vez que cada célula do seu corpo precisa de magnésio para funcionar! Magnésio é importante para uma boa circulação, um metabolismo saudável, um bom sono e para o equilíbrio hormonal. Absorver mais magnésio é bom para ajudar a “detoxificar” porque magnésio ajuda nos processos de limpeza do organismo.

Magnésio pode ser absorvido através da pele e um dos melhores jeitos de conseguir isso é através de sal de Epsom, que é simples e barato!

Relaxar em um banho quentinho ainda ajuda a desestressar.

Você pode achar sal de Epsom em lojas de produtos naturais.

[nota de tradução: eu compro aqui]

NÃO FAÇA SE: contrariar o conselho do seu médico ou se seus processos de detoxicação estão comprometidos.

Nº5: OSTENTE!

O QUE FAZER:

Se permita deixar a vida saudável de lado de vez em quando! Esbanje com deleites de alta qualidade (QUALIDADE é a palavra chave) que seu corpo tolere bem, como sobremesas bem feitas, sorvetes sem sabores artificiais e conservantes, jantares em restaurantes de qualidade e (hum…) bebidas alcoólicas.

POR QUE FAZER:

Uma taça de vinho, uma cerveja artesanal ou alguns nachos não devem fazer você se sentir envergonhada ou “saindo da linha”.

Você PODE [nota de tradução: deve] aproveitar a vida e todas as deliciosas criações do mundo SEM is para o “inverno da vida saudável”. Eu juro. Ser super restritiva 100% do tempo NÃO funciona para todo mundo. Muitos se beneficiam de inserir alguns prazeres em seus hábitos saudáveis.

Se PERMITIR aproveitar essas comidas tira delas o estigma e diminui o drama. Quando você como chocolate sem o peso de estar “furando a dieta”, nós descobrimos que nem queríamos o chocolate mesmo ou simplesmente desfrutamos o chocolate e SEGUIMOS EM FRENTE.

choco cute

Dito isso, continue a evitar o lixo que não merece dançar nas suas papilas gustativas: os doces e biscoitos baratos cheios de gorduras trans e químicos desnecessários, laticínios altamente processados etc. LEIA OS RÓTULOS! Se você não consegue pronunciar, não é bom para o seu corpo.

NÃO FAÇA SE: contrariar as indicações do seu médico ou se te fizer sentir completamente fora do controle.

Traduzido de: http://realfoodliz.com/wp-content/uploads/2015/06/T5Tsubs831_2225PDF_0625.pdf

Fonte: http://realfoodliz.com/

Como eu cheguei até aqui

Um dia, eu virei a louca que passa óleo de coco no rosto :P

image

Brincadeirinha… Muita coisa aconteceu pra eu chegar até aqui. Hoje vou contar um pouco dessa história.

Há 15 anos atrás, fui diagnosticada com hérnia de hiato, o que me causava um refluxo insuportável. Solução: Omeprazol. Assim, eu passei 13 anos da minha (não muito longa até agora) vida, tomando um remédio de uso contínuo. E sem perspectiva de abandoná-lo nessa vida.

Só que um dos efeitos colaterais do Omeprazol é a formação de pólipos no estômago, o que, a princípio, não causa nenhum problema além de própria existência dessas “bolinhas do mal” =\

Até que há 2 anos atrás, o número e o tamanho desses pólipos, causados pelo remédio, chegaram a um nível ~tenso~ e a gastro mandou suspender o remédio. Assim. “Suspense e viva com isso”. Óbvio que não prestou e eu voltei imediatamente a passar mal. Imediatamente mesmo, na hora que saí do consultório e comi um sanduíche. Guardem esse dado: um sanduíche ¬¬

No lugar do Omeprazol, ganhei uma receita com outros 2 remédios paliativos ~mais fracos~ que eu deveria tomar apenas em casos de emergência. Como eu continuei comendo TUDO o que eu sempre comi normalmente, continuei a passar mal normalmente (isso também acontecia nos breves períodos que eu ficava sem tomar o remédio também). Conclusão: emergências e remédios paliativos sendo consumidos, em média, a cada 2 dias. Não tava nada bom.

Decidi que precisava mudar algo na minha alimentação. A primeira que me deu uma luz foi a minha homeopata: devia ser o conservantes e todas as químicas que tem no pão ~integral~ que eu comia. Comecei a comer um pão ~mais natural~ e sem conservantes, que até é muito bom, inclusive, chamado Pão do Bento. Mas cheguei à conclusão, sozinha, que meu limite era 1 fatia de Pão do Bento. 2 fatias e lá ia eu correndo pro anti-ácido! Mas o que eu iria comer no café da manhã se não comesse pão né? ;)

Daí minha psicóloga, outro anjo na minha vida, me indicou a nutricionista dela. Fui. Saí da 1ª consulta com um diagnóstico, baseado em dados completamente estranhos para mim, como o fato de eu ter caspa DESDE QUE ERA BEBÊ, cortes de papel no dedo que nunca cicatrizavam e intestino mais do que preguiçoso. Qual diagnóstico? De que era intolerante ao glúten. Lembram do sanduíche? Então… Comprei pão, biscoito, macarrão e massa de pizza sem glúten e, depois de um mês, nem precisava voltar na nutricionista para saber que o diagnóstico estava correto. Quando eu não comia glúten, ficava ótima; quando comia um pedaço de pizza (com glúten), passava mal.

Além disso, uma outra coisa foi chocante: parei de inchar na TPM. Assim. De cara. Sempre fiquei super inchada na TPM, era inclusive perceptível no espelho, sem contar que a calça jeans sempre ficava mais justa… Em média (sim, eu já tinha feito o teste e me pesado antes, durante e depois da TPM), ganhava 2kg nesse período! Depois voltava ao normal, mas nem essa certeza amenizava o desconforto (e o mau humor!) que esses 2kg provocavam.

Então, voltei na nutri e continuei seguindo religiosamente os conselhos dela por mais 2 anos.

O mais bizarro dessa história foi que eu voltei na gastro, contei que estava ótima, SEM REMÉDIO!, porque tinha parado de comer glúten e qual não foi a minha surpresa quando ela disse que isso era “EXAGERO” o_O e que eu devia voltar a comer O QUE ME FAZIA MAL (sobre esse assunto, leia isso) fuén fuén fuén…

De qualquer jeito, eu tenho cérebro e, antes mesmo de ler o blog do Teco Mendes, decidi que não ia voltar a comer o que, ESTAVA EMPIRICAMENTE PROVADO, me fazia mal.

Fiz muito bem.

Continuei sem precisar de remédios (quer dizer, quando não comia glúten – recaídas por motivo de pizza não eram raras) e sem ficar inchada na TPM.

Nesse meio tempo, fui me interessando cada vez mais por alimentação ~saudável~ e comecei a correr. E a acompanhar o Blog da Debs.

Até que vi a Debs falando no Instagram que estava fazendo uma tal de dieta Paleo… “Que diabos é isso?”, pensei, enquanto já digitava no Google e abria o blog do Teco (indicado pela Debs) na outra aba :P

Comecei a ler e achar que fazia sentido. Li “Barriga de Trigo”, “A Dieta da Mente”, “Por que Engordamos“, “Keto Clarity” e agora estou lendo “A Dieta dos nossos Ancestrais”. Também fuxiquei todos os blogs Paleo que encontrei no caminho (já listei alguns aqui).

No meio disso tudo, resolvi testar essa dieta que, por mais louca que parece à primeira vista, FAZ SENTIDO quando você começa a ler estudos científicos e relatos de pessoas que adotaram esse estilo de vida.

Tava de férias e não podia correr porque tinha machucado o pé (outra longa história que merece um post só para ela). Óbvio que estando de férias e não podendo me exercitar, ia engordar né? E, no meio do caminho, eu ia me empanturrar de bife de chorizo na Argentina! Então ia ser um bom teste.

Comecei pelo café da manhã. Adeus, pão sem glúten (meu orçamento agradeceu essa despedida). Olá, ovos! Preciso confessar que: eu não gosto de bacon. Nunca gostei. Nem um pouquinho. Inclusive, tentei gostar! Mas não funcionou. Então, meu café da manhã ia ser apenas ovos. Ótimo!

O almoço era fácil: carne e salada. Normal. Jantar também. Fácil.

Aí li sobre o tal do bulletproof coffee. Como é de praxe, achei esquisito. Mas minha relação com o óleo de coco já era estável, então resolvi testar também.

Tomei SÓ o tal do café com óleo de coco (manteiga no café é demais para mim – já experimentei mas não rola) e fui caminhar no calçadão (tinha sido liberada para caminhar, apenas). Não morri. Achei estranho, mas voltei viva e, o pior, SEM FOME! Fui almoçar às 16h esse dia, simplesmente porque “tinha que almoçar”.

Atualmente, treino normalmente (5-7km) 2 vezes por semanas com ~apenas~ um bulletproof coffee no estômago, que, pasmem!, NÃO DÓI MAIS! Mas depois sinto fome e devoro os 2 ovinhos de sempre ;)

Desde então, é óbvio que eu comi glúten em algumas ocasiões e, inclusive, brigadeiro (minha comida preferida do mundo, seguida de bife de chorizo, chorizo – a lingüiça – e picanha). Também bebi cerveja. E é óbvio que eu passei mal, em algumas (poucas) dessas ocasiões. Mas, em geral, estou mais disposta, continuo não ficando inchada e não tomo mais remédio para o estômago (me lembro de ter tomado um “anti-ácido” natural – recomendado pela nutri – numa emergência esse mês, mas nem me lembro quando tomei outro desses antes).

Se emagreci? Sim, 2kg. E está ótimo, até porque emagrecer não era o objetivo. O foco era mesmo a saúde, principalmente porque na minha família temos casos de câncer, diabetes, demência e síndrome de Tourrette, algumas das doenças que podem ser evitadas com esse tipo de alimentação Paleo/Low Carb.

Por falar em Low Carb, gostaria apenas de deixar claro que eu como carboidratos: além de frutas e vegetais, como raízes, tipo aipim e batata doce, que eu amo <3

Bem, convencida de que deveria comer COMIDA DE VERDADE, fica mais fácil se convencer a usar produtos de beleza de verdade também, né? ;)

E aqui estou eu. Descobrindo o mundo dos cosméticos naturais junto com o mundo da comida de verdade. Que viagem :P

P.S.: Ontem a nutricionista Lara Nesteruk deu uma entrevista bastante esclarecedora sobre a Dieta Paleo na TV Gazeta. Você pode assistir aqui.

Empirismos atuais

Já se passaram 2 semanas desde que eu comecei a limpar a minha pele com óleo (de coco) todos os dias à noite. E o que eu estou achando? Cada dia que passa eu amo mais óleo de coco!

Antes de mais nada, preciso dizer que me relação com essa “gordura boa” sempre incluiu um pé atrás… Primeiro, foi a nutricionista que falou que eu devia colocá-lo na salada de frutas. Achei estranho. Duvidei. Demorei um tempo para me acostumar com a ideia até experimentar a combinação. E ali começou o meu amor pelo óleo de coco. Simplesmente, não sei mais comer salada de fruta sem ele <3

Depois, foi o tal do Bulletproof Coffee. Colocar manteiga no café não me parecia uma boa ideia. Até que eu li que podia colocar óleo de coco. Decidi experimentar porque já está apaixonada mesmo, né? A princípio, achei esquisitíssimo. Depois fui me acostumando com o gosto e vendo como me deixava com ânimo para correr (mil vezes melhor que tomar termogênico). Hoje sou apaixonada por ele também <3 <3

Então, quando vi que podia limpar a pele do meu rosto com ele, o que eu fiz? Achei esquisito de novo! Fazer o quê? Fui testar. E adorei! Sério, quando limpo o rosto à noite com o óleo, a pele fica maravilhosa! Hidratada e limpa, na medida certa.

Convencida da fase 1, resolvi testar o método de manhã também. Aí, começaram os problemas: não deu certo. Não me pergunte por que, simplesmente não funcionou! No primeiro dia, escorreu um pouco para o cabelo e pronto. Ficou mega oleoso. Tentei de novo e a pele ficou oleosa no meio do dia. Enfim, desisti.

Atualmente, minha rotina consiste em lavar o rosto de manhã com sabonete de glicerina e à noite limpá-lo com um pouco de óleo de coco e 1 gota de óleo esssencial de hortelã-pimenta (indicado para peles oleosas). Está funcionando e, por enquanto, me fazendo feliz.

saboneteoleo de cocooleo

Até eu resolver testar outra coisa… ;)

5 Grandes Equívocos sobre a Exposição ao Sol

Esse post é uma tradução do blog Primal Pastures: http://blog.primalpastures.com/wellness/top-5-sun-exposure-myths-debunked/
Eu já discuti bastante com amigos e familiares sobre exposição ao sol. Além dos vários mitos e falsidades sobre as comidas que são e que não são saudáveis de se consumir, esse parece ser um dos temas mais amplamente mal compreendidos por aí.

O sol tem tido uma péssima reputação na última decáda. Somos ensinados a evitá-lo a todo custo. E se nós realmente quisermos nos aventurar sob os perigosos raios solares, somos ensinados a nos empastar de protetor solar para que nenhum pedacinho de pele fique exposto – ou estaremos nos arriscando a ter câncer de pele.

A mídia demonizou e criticou o sol mais do que Miley Cyrus, nos transformando em solar-fóbicos super cuidadosos.

Mas com a consciência desse perigo e o uso contínuo de protetores solares, pensávamos que as taxas de câncer de pele diminuiriam. Só que não. Nem um pouco. Ao contrário, as taxas de câncer de pele aumentaram muito nos últimos anos, apesar dos altos gastos com protetores solares e mais tempo dentro de casa e do trabalho.

Então, no que deu? Onde estão as lacunas na “sabedoria” convencional sobre exposição solar que nos ensinaram?
Os 5 maiores Equívocos sobre a Exposição ao Sol

#1: Você não precisa de sol para ser saudável. Bobagem! Pegar a quantidade de sol necessária (para o seu tipo de pele) é uma peça vital para ter uma boa saúde. É um dos benefícios mais importantes é a Vitamina D – que comprovadamente afeta tudo desde níveis de felicidade até a presão sanguínea. Baixos níveis de Vitamina D estão relacionados a um risco maior de câncer e de doenças cardíacas.

Como a exposição ao sol determina 90% da quantidade de Vitamina D no nosso corpo, não é de se admirar que 41% dos adultos norte-americanos têm deficiência nessa importante vitamina – nós não estamos pegando a quantidade de sol que precisamos!

Além de nor fornecer Vitamina D, os raios UVB também produzem melanina, que age como um antioxidante e protege a pele de danos causados pelo sol, espalhando a radiação solar sobre a superfície da nossa pele.

Mas há uma questão. Nós somos capazes de produzir apenas uma certa quantidade de melanina (que varia de pessoa para pessoa) por vez – se o tempo no sol exceder a capacidade da nossa melanina nos proteger, nos queimamos. Só que é possível ter todos os benefícios do sol para a saúde sem nenhum dano. Pessoas com peles mais escuras precisam de maiores quantidades de sol para ter Vitamina D suficiente, enquanto pessoas com a pele clara muitas vezes precisam de apenas alguns minutos de sol para isso!

#2: Protetor Solar vai te proteger dos perigos do sol. Esse pode ser o pior (e mais prejudicial) mito de todos. Sim – protetor solar é um ótimo para bloquear raios UVB que causam queimaduras (e produzem Vitamina D). Mas não faz quase nada para nos proteger dos raios UVA que penetram bem mais fundo do que raios UVB, prejudicando as membranas das células da pele e o DNA dentro delas. E protetores solares que dizem proteger contra ambos os raios UVB e UVA simplesmente não são confiáveis. De acordo com Liz Wolfe, em seu livro “Eat The Yolks”,

“Os protetores solares que dizem bloquear os raios UVB e UVA tentam combinar proteção aos raios UVB com químicos que deveriam absorver ou dispersar os raios UVA. Contudo, o Environmental Working Group alerta que esses protetores vendidos nos Estados Unidos são ‘os mais fracos do mundo moderno’. Na Europa, os protetores solares devem conter proteção UVA no mínimo um terço tão potente quanto à proteção UVA. Nos Estados Unidos, nenhum protetor solar atende esse critério mínimo exigido.

Protetores solares nos dão a falsa sensação de proteção ao bloquear raios UVB (nos poupando do desconforto temporário das queimaduras) enquanto deixa os raios UVA penetrarem fundo na nossa pele para fazer estragos mais sérios e duradouros. Queimaduras não são necessariamente inimigos. Nossos corpos são equipados com mecanismos para nos alertar quando já tivemos o suficiente de qualquer coisa. Nesse caso, a habilidade da nossa pele queimar é um sinal de alerta para sairmos do sol.”

E o protetor solar atrapalha isso.

Assim, nos dizem há muito tempo que usar protetor solar é a coisa mais saudável a se fazer. Então, sem pensar muito, nos enchemos de loções cheias de químicos antes de passar algumas horas no sol (e reaplicamos a cada 60 minutos, claro). Quando, em vez disso, nós deveríamos estar praticando uma exposição solar responsável, nos cobrindo ou indo para a sombra quando nosso corpo chegar no seu limite (mais sobre isso em breve).

#3: Protetores Solares são 100% seguros. Alguns anos atrás, a Banana Boat teve que fazer um “recall” de um número de seus populares protetores solares em spray devido ao “potencial risco inflamável do produto na pele quando entra em contato com uma fonte de combustão antes do produto estar completamente seco”. Em outras palavras, as pessoas estavam literalmente pegando fogo quando usavam esse produto.

Esse é um exemplo extremo. Mas aponta o fato de que muitos dos químicos usados nos protetores solares são perigosos e agressivos. O palmitato de retinol, um químico conhecido por causar toxidade reprodutiva e aumentar o crescimento de tumores de pele, é um importante ingrediente em quase todos os protetores. Oxybenzone, outro ingrediente comumnos protetores solares, é igualmente destrutivo, causando disfunção hormonal e reaçôes alérgicas. Esses ingredientes nocivos não oferecem nenhuma proteção real ao usuário.

#4: O que você come não afeta como o seu corpo reage ao sol. As taxas de câncer de pele (assim como a de outros cânceres e doenças) aumentou drasticamente nas últimas décadas, “coincidentemente” coincide com as mudanças na dieta que passou a incluir mais comidas processadas, um aumento do uso de aditivos químicos e um maior consumo de óleos Omega-6 como óleos vegetais.

Desde que eu comecei a seguir uma dieta paleo há 3 anos atrás, queimaduras de sol se tornaram uma ocorrência rara para mim (e não foi sempre assim). Comidas de verdade, naturais e não processadas podem fazer maravilhas para que sua pele queime menos e bronzeie melhor. As 3 regras básicas a seguir também podem ajudar a melhorar o jeito que seu corpo responde ao sol:

1) Consuma mais Omega-3 e menos Omega-6: Gorduras saudáveis como óleo de coco, azeite de oliva e óleo de abacate são essenciais para regenerar a nossa pele. Quando essas fontes de gorduras Omega-3 não estão disponíveis no nosso corpo, óleos Omega-6 altamente processados (óleo de soja, de canoas etc.) serão usados – levando a potenciais mutações cancerígenas.

2) Fique longe dos grãos: Grãos causam mais inflamação no corpo do que qualquer outra coisa. Sabe-se que inflamação contribui para o desenvolvimento do câncer. Não preciso dizer mais nada.

3) Coma mais antioxidantes: Comidas ricas em antioxidantes (como frutas vermelhas e chocolate amargo) reduzem a inflamação no corpo. Indivíduos que não consumem grãos e comidas processadas diariamente terão menos inflamação a combater, mas ainda podem se beneficiar de uma dieta rica em antioxidantes que ajudam a combater e prevenir radicais livres que causam câncer.

#5: Mas é o caminhoneiro?


A foto acima mostra o rosto de um caminhoneiro que ficou muitos anos dirigindo um caminhão de entregas. O lado do rosto que pegava mais sol mostra claramente muitas rugas, enquanto o outro lado parece bem melhor. Essa imagem foi amplamente divulgada por dermatologistas e entusiastas dos protetores solares para incentivar a sociedade a “usar protetores solares constantemente”, como sugerem vários artigos de jornais e revistas.

Mas tem uma coisa: Nós já comprovamos que uma alta exposição aos raios UVA pode causar danos sérios ao DNA da pele (enquanto raios UVB causam queimaduras temporárias mas também oferecem muitos benefícios à saúde). Ninguém está negando isso. Mas assim como a maioria dos protetores solares só protegem contra os raios UVB, o mesmo acontece com os vidros de carro.

A janela do carro estava bloqueando os raios UVB que causariam queimaduras. Sem nunca ter uma queimadura para avisá-lo, o motorista provavelmente não tinha ideia que um dano causado pelos raios UVA estava ocorrendo. Se a janela deixasse os raios UVB entrar assim como os UVA, ele teria os benefícios da Vitamina D e da Melanina. É uma imagem chocante, mas os fatos por trás dela apresentam mais um caso para a exposição solar responsável do que qualquer coisa.
Uma abordagem inteligente para a Exposição Solar

Eu não estou de nenhum modo sugerindo que nós deveríamos praticar nenhum tipo de adoração solar maluca. Eu sou, contudo, contra viver com medo de algo que nos oferece tantos benefícios (como nos fazer feliz). Então, em vez de nos enganarmos com um dos extremos, vamos tentar ser responsáveis a respeito disso.

Nossos corpos são muito mais espertos do que pensamos. Está na hora de começar a ouvi-los! Quando vemos ou sentimos que estamos queimando por causa do sol (e, tomara, antes que isso aconteça), é provável que seja uma boa ideia sair do sol. Vá para dentro de casa, sente na sombra ou se cubra com um chapéu ou uma peças de roupa. Para aqueles com peles claras ou que não estão acostumados a pegar muito sol, vá devagar. Não há necessidade de se forçar ficar tempo demais no sol e acabar seriamente queimado.

Não demora muito para aprender quanto sol nosso corpo pode tolerar por vez. Como eu disse antes, talvez você precise de apenas alguns minutos. Ou podem ser algumas horas – varia de pessoa para pessoa.

Nos dias em for passar muitas horas no sol (praia com a família, longas caminhadas etc.), escolha um protetor solar que não contenha químicos perigosos. Minha receita natural de protetor solar contém óxido de zinco (que protege tanto contra UVA quanto contra UVB) e outros ingredientes seguros.

Óxido de zinco é feito de partículas que são largas demais para serem absorvidas pela pele e, em última instância, pele corrente sanguínea – mas ainda oferece uma excelente proteção. A parte ruim? Por causa dessas partículas maiores, ele pode deixar uma película pastosa branca na pele – um preço a se pagar nem tão ruim assim na minha opinião! Porque óxido de zinco bloqueia virtualmente tudo, ele também bloqueia (infelizmente) a Vitamina D dos raios UVB de entrar na pele – e é por isso que eu só uso ele quando eu fico exposta ao sol por períodos extensos de tempo.

Qual a sua posição sobre exposição ao sol? Quais dicas e truques funcionam para você? Me conte!

Fonte: http://blog.primalpastures.com/wellness/top-5-sun-exposure-myths-debunked/