Remédios para uma alma cansada

Esse blog surgiu pra falar sobre cosméticos (ou óleo de coco, que é o tópico principal aqui de qualquer jeito), mas ele nunca foi e nem nunca será APENAS sobre cosméticos. Porque, por mais legal que falar sobre produtos de beleza seja, existem outras milhares de coisas super legais no mundo além disso!

Disse a pessoa que muda de ideia a cada 5 minutos :P

Enfim, esse nariz de cera todo é só pra dizer que hoje eu resolvi escrever sobre algo um pouco mais profundo do que pele. Porque todo mundo precisa cuidar do lado de dentro.

Lendo esse post da Idelette, ela lista 11 coisas que a fazem se sentir melhor quando está “com a alma cansada”.

Fraulein Maria, aka a Noviça Rebelde, já nos ensinou:

“When the dog bites
When the bee stings
When I’m feeling sad
I simply remember my favorite things
And then I don’t feel so baaaaaaaaaaad”

(sim, “Noviça Rebelde”, é O filme da minha infância – competindo apenas com “Mary Poppins” – eu amo a Julie Andrews)

Enfim, com tudo isso, eu resolvi fazer a minha lista: os MEUS 11 remédios para uma alma cansada. Funciona comigo. Você pode testar se os meus remédios funcionam na sua alma, ou você pode pensar nos seus próprios remédios! Mas vale a pena ter essa lista à mão porque a gente nunca sabe o que vai nos acontecer… E é provável que coisas não tão boas aconteçam. Na mesma proporção em que coisas boas acontecem. Vai saber.

Bem, aí vai:

Remédios para uma alma cansada

  1. Chá. Para mim, é como receber um abraço por dentro. Eu tomo todo dia, mas tem dias em que é mais necessário sentir aquele quentinho dentro da gente… Sem contar que me lembra da minha avó, a responsável por eu gostar tanto de chá (e da Noviça Rebelde). E tem conforto maior do que vó? <3
  2. Dormir. Eu e minha cama = amor verdadeiro. Aquela maciez é (de novo) como um abraço, ao mesmo tempo em que eu não preciso dizer nada, explicar nada. E você sempre acorda melhor. Dá pra combinar com o remédio anterior e formar um “combo conforto”: chá + cama <3 <3
  3. Chorar. Às vezes, a gente não consegue nem chorar. Mas, quando a gente chora, parece que tira uma parte do peso de dentro do peito. E eu só considero que algo está resolvido depois que choro tudo o que tenho pra chorar por aquilo. E olha que eu choro bastante…
  4. Rezar. Se você não pode fazer nada, entregue nas mãos de Deus. E, se não conseguir pensar no que dizer, vale repetir qualquer oração decorada (Pai Nosso, Ave Maria etc). Além de pedir ajuda divina, que com certeza vai poder fazer muito mais do que você, rezar ajuda a se acalmar e, muitas vezes, nos faz ver exatamente a solução que não estávamos conseguindo enxergar sozinhos.
  5. Coisas bobas. Adoro bobagens. Trocadilhos. Fotos engraçadas. Piadas ridículas. Vídeo de bichos fofos. Dependendo da situação, só de ver algumas coisas bobas e rir delas já melhora.
  6. Conversar com alguém que você ame. Contar os seus problemas para alguém parece que ajuda a diminuir o peso nas suas costas. Na verdade, parece que você divide esse peso com a pessoa para quem você conta os seus problemas. Seja algum familiar, amigo ou o seu analista. Seja ao vivo, por telefone ou por whatsapp. É um consolo instantâneo saber que tem outra(s) pessoa(s) do seu lado.
  7. Tomar um banho. Essa dica foi minha mãe que me deu. E funciona. Banho quentinho (no frio) = conforto. Banho gelado (no verão carioca) = alívio. Sempre ajuda.
  8. Tomar um banho de mar. Tem coisas que só um banho de mar resolve.
  9. Correr. Ou fazer qualquer exercício. Primeiro porque faz você focar em outra coisa. Segundo porque ajuda a “botar pra fora” todos os seus problemas em forma de suor. Estando bem ou mal, sempre gosto de oferecer minhas corridas por algo ou alguém. É uma ótima forma de dar sentido ao seu esforço e você se sente menos impotente diante dos desafios da vida. Também pode formar um combo com o banho de mar: corrida + banho de mar = lava a alma cansada. Literalmente.
  10. Dançar. Depois de um dia estressante no trabalho, cheguei em casa, coloquei Amy Winehouse pra tocar e me libertei de todos os sentimentos negativos que eu estava carregando. Sério. Quem me deu essa ideia foi a Melissa Ramos, do Sexy Food Therapy, que tem até um nome para essa atividade: “apartment dancing”.
  11. Ficar quieta. Quando eu estou muito mal, o que eu mais quero é ficar quieta, na minha, sozinha. Então, é isso que eu faço. Talvez eu beba um chá. Talvez eu reze. Talvez eu durma. Talvez eu tome um banho. Mas eu preciso de algum tempo sozinha.

:)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s